quarta-feira, 27 de Novembro de 2013

Como aprender a ler as cartas



Tenho recebido inúmeros e-mails com relatando histórias pessoais relacionadas com o Lenormand.
Umas relatam como chegaram ao Lenormand, outras descrevem a imensa frustração sentida por não ter sido atingido o objetivo a que se propuseram, apesar dos vários cursos frequentados, livros e blogues lidos. Recebi também historias onde se confessa ter profundo conhecimento do significado de cada carta do Lenormand, da simbologia de cada um dos elemento contidos nessas cartas e de ter ao seu dispor mais de 100 métodos de leitura para qualquer tipo de questão mas todo este conhecimento não se reflete em bons resultados numa leitura. Tenho até relatos de pessoas que dizem ter cadernos cheios de combinações encontradas em vários blogues, grupos de estudos, livros, etc, mas uma vez aplicadas à leitura o/a Consulente discorda da análise por não identificar nela qualquer relação com a sua situação ou sua vida.
Há pessoas que me escrevem assumindo que se sentem confundidas com a presença algumas combinações de cartas numa determinada leitura não conseguindo ler devidamente a mensagem que essas cartas carregam,
“Qual a explicação para estas situações Odete?” É a pergunta que todos me fazem.
Por considerar de extrema importância estes relatos decidi responder a todos estes e-mails num único texto e publica-lo no meu blog para que todos o possam ler e esclarecer as suas dúvidas. As explicações dadas neste texto encontram-se separadas por temas para melhor compreensão.

Saibam que:
Meus amigos e amigas saibam que não se nasce Cartomante! Aprende-se a ser Cartomante!
É necessário ter vocação para ser Cartomante. A vocação traz-nos a predisposição e motivação para estudar, praticar, ter paciência durante o longo percurso de aprendizagem. Se você não tem vocação e uma boa dose de paixão pela Cartomancia, não adianta insistir, porque ficará sempre no mesmo nível. Nunca chegará a ser um profissional.
2. Para ser Cartomante, não é necessário que você seja descendente de uma família de cartomantes ou de videntes (como eu). Também não é necessário ter um dom. A Cartomancia baseia-se na interpretação de uma linguagem simbólica composta por números e símbolos (religiosos, culturais, astrológicos, etc.). O que o Cartomante faz, é traduzir essa linguagem simbólica para uma linguagem o Consulente entenda (no vosso caso em língua Portuguesa).
3. Para chegar a um nível profissional, é necessário muito estudo teórico e pratico. Posso-vos garantir que o caminho é longo, feito de muitos obstáculos que só podem ser vencidos com amor a arte. A pressa é inimiga da perfeição. Ela complica muito na fase de aprendizagem. Acredite, não existe miguem que consiga aprender a ler as cartas em 7 dias. Nesse período de tempo poderá memorizar nomes, números e significados das cartas. Como já expliquei, não acredito nesse tipo de aprendizagem porque na realidade nada se aprende. Um baralho não é uma poesia para ser memorizada. Um baralho é vida e você só o entende convivendo com ele no seu dia-a-dia. A minha Mestre, minha vovó sempre me disse uma coisa: “Detinha minha filha, você só vai entender o que pretende quando você conviver com o que quer entender. Conviva com o seu problema, com suas amigas, com o seu trabalho todos os dias para poder conhece-los melhor”.
4. Aprenda com um Cartomante profissional e que ministre cursos profissionais sérios aqui na minha lista tenho a Sonia Boechat Saleme, a Tânia Durão, a Rose Ragazzoni, o Alexsander Lepletier, o Andy Boroveshengra, Björn Meuris, Luciana Onofre ou com pessoas do seu conhecimento que tenham uma boa bagagem pratica. Não frequentem cursos ministrados por quem ainda está em fase de pesquisa e aprendizagem porque essa pessoa ainda não teve tempo suficiente para certificar a sua própria experiencia, e confirmar se as teorias são de facto verificadas na prática. Esse género de pessoa, só vai prejudicar o seu crescimento pessoal como cartomante. Se você quiser evoluir e sair da fase de iniciado é necessário um MESTRE. Comece bem, isso é muito importante.
5. Tenha confiança e acredite em você. Não comece uma leitura com insegurança. Isso não ajuda.

Quais são, os maiores erros cometidos por um iniciado no estudo da Cartomancia?
1.Acreditar que comprando um baralho de cartas e ler o pequenino livrinho que vem a acompanha-lo é suficiente para que possa fazer uma consulta.
2. Memorizar significados? Pessoalmente não acredito nisso. Acredito que as cartas têm que ser sentidas. Elas têm que fazer um sentido real pra você. E para fazer isso, você tem que começar a conviver com elas todos os dias. Comece com um simples tirar de uma carta como conselho do dia, como orientação numa questão, como horóscopo do dia. Essa única carta, vai falar. Vai contar-lhe algo. Observe. Anote o que aprendeu sobre ela. Escreva as suas sensações, pensamentos. Quando o evento se verifica escreva também, mesmo que você tenha errado. Isso servirá para a sua aprendizagem.
3. Para estudar um baralho, é necessário que você conheça as suas raízes, as suas origens e também a cultura pessoal do autor do baralho. Por exemplo, o Baralho Petit Lenormand, não é Francês como ainda muitos acreditam. Ele carrega unicamente o nome de uma grande Cartomante de origem Francesa de nome Marie Anne Adelaide Le Normand (nascida em 16.9.1768 e falecida em 25.6.1843). O Baralho Petit Lenormand nasceu na Alemanha, da cópia de um jogo chamado “O jogo da esperança” criado por Johann Kaspar Hechtel (nascido em 1.5.1771 e falecido em 20.12.1799) em Nuremberg, Bavaria na Alemanha. Então, nada neste baralho tem que ser estudado em função de quaisquer ligações com Franca, nem mesmo os naipes contidos nas cartas. Focando os nossos estudos nessa direção, vamos conseguir colher a sua verdadeira natureza, os ensinamentos do Petit Lenormand.
4. Escolha a escola que quer seguir. Defina-se.
5. Se você esta no inicio dos estudos, limite-se a trabalhar com métodos pequenos e se possível com “casas” que o possam ajudar na leitura. Cada carta vai estar em “trânsito” (passagem) numa “casa” que identifica um determinado argumento, situação, evento: passado, presente, futuro; situação, obstáculos, evolução; família, trabalho, dinheiro, saúde, etc. Nesta fase, não é aconselhado trabalhar com um método “solto”, isto é, com um método aonde não existem casa posicionais. Você ainda não tem capacidade de enfrentar três ou mais cartas ao mesmo tempo. Não conhece a sua força, a sua fraqueza e algumas técnicas necessárias para colher a verdadeira interpretação da união de várias cartas. Estas técnicas são necessárias! E você vai aprende-las com o tempo. Siga os seus estudos por fases. Primeiro aprenda a palavra (significados), depois a frase (duas cartas juntas - combinação, e saber reconhecer a força e fraqueza de uma carta com a outra) e por fim a formar uma história (varias técnicas que unidas ajudam a criar uma leitura profissional). Quando você chegar à última fase, aquela em que consegue escrever a história, você nem vai dar conta de todas as técnicas utilizadas que tanto sofreu para aprender. Numa fração de segundos, diante de varias cartas na sua mesa, você vai falar, vai interpreta-las sem qualquer problema. 
6. Combinações que se encontram nos vários sitos, grupos de estudos, livros nem sempre funcionam numa leitura real. Algumas destas pessoas que propõem estas combinações fazem-no por mera “dedução” sem nunca terem tido o cuidado de disponibilizar tempo para observar isso na própria consulta. Então, estejam atentos. Qual a melhor solução? Aprenda a técnica de fazer as combinações, e faça as suas. Habitue-se também a registar num caderno as informações recolhidas nas suas consultas. Esse procedimento ajudá-lo-á a observar o comportamento das cartas quando estas estão em conjunto. As respostas obtidas nas consultas são a certeza que essas combinações estão corretas. Confie mais em você.
7. Muitos erram também na leitura com um método posicional. O que são métodos posicionais? São todos os métodos que contem “Casas”, como por exemplo, o método “Peladan”, a “Cruz Céltica”, as “12 Casas Astrológicas”, etc. Tenho observado que muitos não seguem as regras do método. Se na “casa” 6 do método “12 Casas Astrológicas” que reapresenta o Trabalho, a Saúde e a “casa” 7 o Companheiro, socio, etc. não vamos combinar as cartas em “transito” nas duas “casas” (6 e 7) como uma leitura única, a não ser que queira ver a saúde do seu marido, mulher, socio! Se estiver a ler a “casa” 6 limite-se à leitura da ou das cartas em “transito” nessa “casa”! Faca isso com qualquer outro método. Aprenda as regras do seu método!

É verdade que uma entidade bloqueia a consulta?
Não. Uma consulta fica bloqueada por outras razoes:
1. A incapacidade do Cartomante (não esta preparado, falta de experiencia, desconhece o próprio trabalho)
2. A falta de “empatia” entre o cartomante e o Consulente.
3. Doença.
4. Stress
5. Agitação pessoal.
Por isso se estiver com este problema, observe esses 5 pontos.
Quanto ao ponto 2, você não é obrigado a fazer uma consulta a alguém que não goste. Saiba dizer NÃO!

Recorde-se sempre. A Cartomancia é um trabalho de responsabilidade. Você está a lidar com seres humanos. Respeite e ofereça a cada ser humano que o procure a melhor consulta. Sempre!

Espero ter esclarecido todos os pontos dos e-mails que me enviaram.

Um beijão para todos/as vocês.
Odete Lopes

Sem comentários:

Enviar um comentário